segunda-feira, 13 de junho de 2016

Um olá e um até breve!

As novidades são algumas, e o tempo fugiu-me das mãos!

Desde a ultima mensagem, a minha mãe, felizmente, recuperou totalmente do cancro, ficou limpinha e seguiu a sua vida mas claro vigiada. A minha tireoide também estabilizou e já não preciso de tomar medicação apesar de continuar a vigiar porque tenho os nódulos presentes mas os horriveis sintomas que tinha desapareceram e sinto-me em paz, sem ataques de mau humor, ansiedade ou arritmias. 2015 foi um ano terrivel com tantos médicos e exames, hospitais, consultas, internamentos... Veremos o que nos reserva este mais ou menos calmo 2016, tirando para a minha vovó velhota que tem tido alguns percalços cardíacos. Esperemos que se mantenha estável pois preciso dela cá ainda uns bons anos.

O tempo tem voado, os minutos são todos contados e deambulamos entre casa, escola e respectivos trabalhos. Ou seja, temos vivido offline dos blogues. À partida já sabia que ia acontecer este afastamento até porque os tempos que eu queria que ela um dia lesse sobre, para saber como foi, como a gravidez ou o primeiro/segundo anos de vida, já passaram e a partir de agora ela guarda na memória os momentos que vive connosco. E que bela memória ela tem :) 

As novidades são algumas e temos uma Eva super crescida e irrequieta com 3 anos :) 

Depois da operação ficou com as vias respiratórias desobstruídas e as noites tornaram-se maravilhosas. Não mais ressonou, nunca mais teve situações aflitivas de apneia (que quem passa sabe como são horriveis). Teve um episódio de infecção respiratória em que entrou no hospital com pouco oxigénio mas o tempo no inicio do Outono/Inverno não ajudou muito. Porém, depois disso, tudo sem problemas e as constipações passam sem grandes medos que ela a qualquer momento tenha falta de ar. A operação foi a melhor opção. Aliás, no caso dela não havia outra.

A entrada na pré em Setembro, com 2 anos e 9 meses, foi tranquila. Era para ter sido em Outubro mas começou logo no primeiro dia de aulas. Se já falava imenso desde então que não se cala. Notámos que começou a ser ainda mais independente, a querer fazer tudo sozinha e tem um vocabulário muito extenso e correcto. Por vezes sinto tantas saudades das palavras que não dizia bem como "caco-iris" (arco-iris), borbucas (borbulhas), "pato dónádi" (Pato Donald)... A cada dia que passa vão desaparecendo dando lugar às que são bem ditas/pronunciadas.

Pelo que se enturmou bastante bem e nunca ficou a chorar. Tivemos mais receio nós, como pais. Toda aquela confusão de ter mais amiguinhos e alguns quase a entrar na primária, mais actividades, ir a uma cantina pela primeira vez, ter outras auxiliares e não ter aquele colo que estava habituada na outra escola, achámos que iria sentir-se deslocada mas nada disso. Como sempre fez amigos com facilidade e faz as delicias de educadoras e colegas por ser assim tão delicada, tão ela. E colo, tem sempre de todo o lado. Basta pedir.

Mas apesar de ser uma criança meiga, risonha, também tem o seu mau feitio e consegue ser teimosa, refilona e amuadinha quando algo não lhe corre de feição. Faz birras e ata o burro com imensa facilidade mas felizmente desata-o rapidamente também. Dá aqueles abraços apertados com beijos suculentos e começa a falar à bebé para lhe darmos colo e beijinhos ao mesmo tempo, cada um numa bochecha. Uma gaiata cheínha de mimo como só ela.  

Foram mais as noites em que dormiu na nossa cama mas há cerca de um mês ou dois que voltou para a dela de livre vontade. Ela dorme onde quiser e certo é que as idas para a cama são pacíficas e é ela mesma quem pede para ir à hora habitual, sem dramas, sem choros, sem complicações. Para comer continua a ser um pisco mas com paciência e imaginação (do pai) à sopa segue-se o segundo prato e com sorte a fruta vai também. Na escola come tudo e até salada... Vá-se lá entender... Durante a noite não pode faltar o biberão (ou biberões) do 'ueitinho!

Já pediu uma mana (tem de ser menina e chamar-se Leonor!!!) mas ainda não nos vamos aventurar. O relógio já deu horas mas por agora temos outros planos. Talvez para o ano ou no seguinte esteja grávida, mais cedo não será. Queremos curtir ainda muito só esta pirralha que tantos cabelos brancos nos vem trazendo ;)

A nossa vidinha continua igual e sabe bem poder contar com essa monotonia ao lado do meu Jacinto que é o melhor marido e pai. Sempre presente em tudo o que diga respeito à filha, à família. Nunca nos desampara, sempre com uma palavra amiga quando estamos mais em baixo, sempre com a sua tolice e brincadeiras que a filha já vai absorvendo. Para a brincadeira ela é igualzinha ao pai <3 Sempre a cantarem, fazendo teatros com musicas que eles inventam, uma casa cheia estes 2. Sou uma mulher abençoada <3 Daí que não desejo mais. Que tudo se mantenha assim...

Não sei se voltarei a escrever, não quero ter mais aquele peso de vir a correr imortalizar tudo o que ela diz, faz ou que vivemos antes que se perca no tempo ou ficar ansiosa se me esqueci de algo numa linha de tempo correcta. Para mim deixa de ter sentido quando se torna obrigatório e imensamente imposto ou rígido. Nunca tive como finalidade levar isto em frente durante anos e anos. Acho que a gravidez e os primeiros tempos, como disse, foram importantes para ela saber como foi, para lhe mostrar como nos sentimos quando soubemos que a esperávamos, cada dia, hora, minuto e segundo foram vividos com tanta emoção e expectativas que não escrever sobre isso seria perder algo muito valioso. Serviu também para termos um registo de como se lida com um bebé nos primeiros tempos mas nada mais que isso. Talvez um dia até fique restrito, até lá fica assim para ajudar outras mamãs de primeira, segunda, as viagens que forem e precisem de saber algo que lhes escape nesta aventura.

Muitas felicidades, amor e saúde a quem nos acompanhou nesta aventura é o que mais desejo, e quem sabe, talvez seja um até breve :) Com tempo não deixarei no entanto de ir lendo alguns blogues de quem me foi mais querido e por vezes deixar uma palavrinha :) se precisarem de esclarecer alguma duvida do que aqui leram e eu puder ajudar é só contactar.

Beijinhos e obrigada pelo carinho sempre presente!






sexta-feira, 21 de agosto de 2015

O bicho ruim...


E como as coisas se fossem fáceis não seríamos lutadores nesta vida a tireoide voltou a fazer das suas. Desta vez com a minha mãe. 

Sendo um problema maioritariamente hereditário e foi devido ao hipotireoidismo dela e sintomas idênticos aos meus que decidi também eu fazer análises e descobrir o meu hipertireoidismo então temos andado as duas de mãos dadas com este problema e sempre em cima dele.

Numa consulta que a minha mãe achou que deveria fazer (sabe-se lá porque!) com alguma urgência e perante os seus nódulos o endocrinologista quis que ela fizesse uma citologia para precaver e tirar algumas teimas. 

Lá marcou, fez o exame, esperou com alguma impaciência e medo pelo resultado e quando saiu foi directa ao hospital. 

Depois de muito lhe dizermos que não tinha nada, que estava bem, eram coisas da cabeça dela, infelizmente o receio que tinha era fundamentado e o pior revelou-se: carcinoma.

Muito choro, muito medo, muitas perguntas, um levantar de cabeça e ir à luta pois que nada se resolve de braços cruzados. Podemos chorar e muito mas devemos ir à luta.

Falar com quem passou pelo mesmo, mais exames, análises às metanefrinas, hormona paratiróide e calcitronina (que estavam bem) e consultas para ser operada com urgência em Setembro, com a esperança que por ser algo pequeno e no inicio, não se tenha alastrado para mais lado nenhum.

Não tem sido fácil e apesar de ser um nome que ninguém gosta de pronunciar acho que ela tem tido uma atitude que eu também teria: falar sobre isso a toda a gente. Faz o exorcismo da coisa, deita cá para fora, ouve experiências, faz a sua catarse... Chora, ri, vai abaixo, volta cá acima. Acho que é fundamental uma atitude assim para fazer face ao problema...

E vai correr tudo bem :)

--------------------------------------------------

Eu fui à consulta do meu antes de saber disto da minha mãe e perante o meu estado que não ata nem desata (borderline) fui finalmente medicada com 10mg de tiamazol/dia e noto bastantes melhorias. Claro que tenho dias piores mas os melhores são em maior numero. Conto lá voltar no inicio de Setembro com novas análises, expor o que se passa com a minha mãe e explicar que o próprio endocrinologista dela disse que seria urgente tanto eu como a minha irmã fazermos exames mais profundos para descartar um problema hereditário mais grave de futuro.

Com isto tudo podem imaginar os nossos dias... E a fartura de médicos que temos tido...

Mas pronto queremos ultrapassar mais esta etapa e depois volto à carga com exames. 

Cirurgia Adenoides e Amigdalas


Os dias passam tão depressa e tão cheios que mais uma vez este cantinho fica para último.

Depois da consulta do otorrino em que nos disse que a Eva teria de ser operada foi um corre-corre para fazer exames e análises. Fez raio-x aos seios paranasais (portou-se lindamente) e análises (um filme!!!!) para mostrar depois na consulta de anestesia. Marcámos logo com o anestesista que o otorrino nos recomendou e fomos aos 2 no mesmo dia mostrar os exames e marcar cirurgia.

Ficou para dia 18/08 e até lá cuidado redobrado. Assim que houvesse sinal de febre dar ben-ur-on e brufen mas se ela se mantivesse como estava no dia da consulta que estava apta para operarem. Tentámos que ela engordasse um bocadinho nos dias que antecederam a cirurgia apesar de o anestesista dizer que ela estava excelente e não deveria estar mais gorda - eu penso sempre que ela é uma trinca-espinhas que não sai dos 12kg. Na minha cabeça se ela tivesse mais uns gramas sempre ia com mais força mas depois de ver lá uma miudita de 9anos com apenas mais 6kg que a minha, desisti de pensar nisso :-P

Uma semana antes do dia D fomos ao otorrino para ele ver como ela estava. Tudo ok... Dois dias antes da operação ela começou com febre. ALARMEEEE!!!! Brufen, ben-u-ron, recolhida em casa... Desde 20 e poucos de Julho que não mete os pés na escola para não apanhar nada. Só saímos em horas em que não esteja muito calor ou muito frio ou vento, pelo que o cuidado tem sido imenso. Na ultima semana piorou muito a sua respiração e não dormia nada. No dia anterior dormiu menos que 5 horas de noite e 1 de sesta pois não conseguia que ar algum entrasse sem se engasgar ou acordar com o ronco. Os últimos 3 dentes resolveram aparecer para ajudar à festa e ainda vimos o caso mal parado... Há meses que não temos uma noite decente.

Mas no dia 18 pouco antes das 8h da manhã estávamos à porta da clínica sem febre, 6h de jejum de sólidos e 4 de líquidos. Entrámos, vesti-lhe o pijama, brinquedos e aguardar pela vinda da enfermeira para a levar juntamente com o pai. Ela foi a primeira por ser mais pequena. Foi um filme para a anestesiarem com a máscara mas às 9h estava a dormir para dar inicio à remoção das amigdalas e adenoides. Cerca de 1h depois o pai foi novamente chamado para ir buscá-la ao recobro e penso que aí foi muito dificil. Ele diz que foi um pouco mas creio que foi mais duro do que aquilo que ele quer admitir. Eles vêm muito agitados e pelo que o pai conta, ela debateu-se muito, pontapeou a cama, quis tirar o soro (uns minutos depois já no quarto acabou mesmo por o arrancar), chorava muito,

Já no quarto e sem o soro, algumas mucosas com sangue (que cessaram ao longo do dia) e mais calma adormeceu. Dormiu cerca de 3h. Acordou meia rabugenta, andou no nosso colo mas queria a cama para descansar. Adormeceu novamente durante umas 4 ou 5h. Acordou e aí sim vi que o efeito da anestesia tinha passado pois olhou à volta muito curiosa. Não queria água ou gelados e podemos afirmar que deve ter sido das poucas crianças que não aproveitou uma operação à garganta para comer todos os gelados que queria e podia. Bebeu sumos, iogurtes e comeu gelatinas. 

Como fez febre devido à quantidade de expectoração que lhe foi retirada, o otorrino deu-lhe antibiótico que está a tomar até agora. Adormeceu novamente às 23h30 e à 1h e pouco da manhã andou numa roda viva até às 5... Ela feliz aos saltos e eu a morrer de sono. Lá adormecemos e às 8h veio a enfermeira para medir a febre uma vez mais, veio finalmente o pai e depois o otorrino que nos deu alta.

Já estamos no 4.º dia e as coisas têm corrido bem. Não houve mais febre, a comida não varia muito pois ela recusa-se a comer sopa ou caldos frios pelo que mantemos as gelatinas, iogurtes, leite e papas e não perdeu peso. Amanhã começamos com os sólidos frios. Tem dormido imenso e bem. Nota-se que havia um cansaço extremo tanto da nossa parte como da dela - já não me lembrava de sonhar há semanas!

Segunda voltamos ao otorrino para ver como está e dia 31 ela retoma a vidinha dela na creche até Outubro onde passará para a pré.

Mais uma etapa concluída e melhores dias de sono e sem apneia se avizinham!


segunda-feira, 27 de julho de 2015

Palavras :)

- Mãe, gostas de mim?

- Claro que sim! Muito!!! Mas mesmo muito! Amo-te assim oh daqui até ao infinito! Enorme!!! Imensoooo!

Ja enfadada:

- 'Tá bem, 'tá bem!

domingo, 26 de julho de 2015

Os exercícios da Mãe



Bom e eu cá continuo a correr, fazer bicicleta e a alimentar-me de forma mais saudável. De há umas semanas para cá tenho tentado tonificar até porque falta apenas 1 kg para o objectivo :) O meu IMC está há um ano normal para a minha estatura e assim quero manter :)

Antes de deixar de fumar e engravidar pesava 54kg mas para quem pesou 105 (fim da gravidez) e 84 (um ano após o parto) penso que 60kg é um objectivo sensato para continuar a ter uma vida saudável :)

Aqui seguem algumas fotos da minha evolução desde que comecei há quase 2 anos :)

A força de vontade tem sido imensa e os resultados dessa força penso que estão à vista :D



Em Janeiro tive um telemóvel com flash finalmente LOOOOOOL

Quero reiterar que os resultados passaram somente por muito exercício (no mínimo 3x por semana, por minha conta e risco) e ter cuidados na alimentação.

Se eu consigo qualquer um consegue :)



Errata: nas ultimas 2 fotos é Julho 2015 e não 2014. :)

Novo membro da Familia Real :D



A familia aumentou com a vinda da Zippy :D

O ano passado perdemos uma das nossas gatas e a que temos não gosta mesmo nada de estar em casa. Desde que nos mudámos para o campo a Piggy decidiu que estava melhor na rua e por mais que a ponhamos em casa ela pisga-se e vai dormir na casota dos cães pelo que queria que a Eva tivesse interacção com um animal dentro de casa e começasse a ter consciência que são seres que têm fome, sede, sentem frio e calor, gostam de mimos, têm as suas necessidades. 

Pelo que a Zippy apareceu um dia na net e nós fomos buscá-la.


Tem uma personalidade fantástica e tem feito as delicias da Eva.

Ambas ainda se ajustam até porque todos os dias é uma aprendizagem mas creio que serão grandes amigas <3

Pelo menos correm uma atrás da outra, escondem-se, uma dá festas, a outra faz fintas e é uma animação <3

As coisas más, as boas e as assim-assim..


Em Junho a Eva passou para o quarto dela sem qualquer problema. Deram-nos um sommier, arranjámos um colchão, comprámos roupa de cama bonita, ajeitámos os bonecos ao fundo da cama para a "guardarem" e ela lá ficou feliz.

Eu confesso que na primeira semana me senti incomodada pois ela dormiu connosco 2 anos e meio e tê-la sempre ali pertinho... mas também sei que ela precisava de espaço e com o verão a chegar bem como o calor por maior que seja a nossa cama ela não estava confortável. 

Não quer dizer que uma ou outra noite não durma connosco o que ainda esta noite aconteceu mas 80% do tempo é na camita dela.

Numa das noites em que connosco dormiu notámos que deixava de respirar mais que 15seg. Outrora fazia alguma apneia mas nunca mais de 4 ou 5 segundos e sempre ressonou imenso mas nessa noite e após uma semana de febre e nariz (ainda mais) congestionado que o costume decidimos marcar uma consulta num otorrino.

Já me tinham dito que ele era muito bom e que só em casos extremos operava pelo que fomos naquela de ele nos receitar algum descongestionante ou truques que pudessemos usar com ela para a aliviar (para além dos aerossois que tanto faz e se sente bem mas que ele - otorrino - não crê que ajudem muito).

Assim que ele a examinou e me mostrou disse que a Eva era caso cirúrgico. Ela não respira pelo nariz e a garganta dela está tão fechada que tem apenas a espessura de um dedo mindinho para comer e respirar. Pelas palavras dele caso ela respirasse bem pela boca poderiamos aguardar mais uns tempos mas neste caso ela não respira bem de lado nenhum. Pelo que será operada às amigdalas e adenoides. 

Neste momento aguardamos o dia 31 para consulta com anestesista e novamente com o otorrino para marcar a cirurgia o mais depressa possivel. Gostariamos que fosse rapidamente pela condição dela e antes da entrada dela para a pré em Setembro mas ao mesmo tempo gostariamos de adiar por ser uma cirurgia e ter que ser anestesiada por isso andamos um pouco nervosos.

Veremos quando o será e como ficará mas que nos deixa de coração apertado, por mais que seja algo simples, deixa...

Espero ir actualizando esta situação até porque poderá ajudar alguma mãe que futuramente passe pelo mesmo com o seu bebecas.



----------------------------------------

Quanto à minha tireóide, fiz cintigrafia em Maio que me deixou mais descansada pois não mostrou nada de anormal nos meus nódulos. Não deixa de ser esquisito ir a um local onde diz "medicina nuclear" e cada pessoa que passa por ti te deseja melhoras, mas já passou. Repito análises todos os meses e continuam iguais mas o endocrinologista não me quer medicar ainda enquanto não entrar mesmo no hipertireoidismo acentuado (nas palavras dele é perder muito peso em poucos dias, etc). Os sintomas só se manifestam em alturas de stress mas quando noto que vão começar tomo logo meio calmante e fico bem. Abanar ou baixar e levantar a cabeça de repente não o posso fazer, enervar-me ou sentir-me ansiosa devo evitar mas quando estas coisas acontecem há formas de contornar. 

(Imagem da Web)

Pelo que e estando eu minimamente bem é nela que devo focar toda a tenção.



---------------------------------------

Mas e porque nem tudo pode ser mau já temos o projecto da nossa casinha a avançar finalmente. Já falámos com o banco e já está escolhido. Há 3 semanas tínhamos a escritura do terreno mas uma das herdeiras não pode comparecer e por isso ficou adiado até data incerta. O que calhou bem pois logo na semana seguinte soubemos da operação da Eva. Mas o que interessa é que as coisas avançam no que toca ao nosso cantinho e finalmente podemos começar a pensar que vamos ter algo nosso.

(Imagem da Web)